Grupo de estudo do Studio de Psicanálise

Grupo de Estudos [Enquanto o futuro não vem] Cartaz1

Leitura e discussão do livro Enquanto o futuro não vem, de Julieta Jerusalinsky.

Julieta Jerusalinsky é psicanalista, especialista em Estimulação Precoce, membro do Centro Lydia Coriat e da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA), mestre e doutora em Psicologia Clínica pela PUC-SP. É professora de pós-graduação nos cursos de especialização em Estimulação Precoce e em Problemas do Desenvolvimento Infantil desenvolvidos pelo Centro Lydia Coriat de Porto Alegre em parceria com diferentes faculdades do Brasil. É professora de pós-graduação no curso de Teoria Psicanalítica da Cogeae PUC-SP. Suas pesquisas, vinculadas ao Laboratório de Psicopatologia Fundamental da Universidade, têm ênfase na intervenção com a primeira infância, a maternidade e os primórdios da constituição psíquica. É autora dos livros Enquanto o futuro não vem: a psicanálise na clínica interdisciplinar com bebês (Ágalma, 2002) e A criação da criança – Brincar, gozo e fala entre a mãe e o bebê (Ágalma, 2011).

Encontros mensais, aos sábados.

Próximo encontro: 23/09/17, das 10h às 12h.

Valor: R$10,00 por encontro.

Local: Auditório do Harmony 2
Rua Dr. José Afonso de Melo, 118 –
Jatiúca – Maceió-AL.

Palestra: Infância Vulnerável

jerusalinsky-2016_2-cartaz

Data: 20/10/16 às 19h30

Local: Auditório do Harmony Trade Center – Jatiúca – Maceió-AL

Público-alvo: interessados no tema

Palestrante: Alfredo Jerusalinsky

Estamos acostumados a considerar o risco evolutivo na infância sempre associado aos transtornos neurológicos, genéticos, metabólicos ou tóxicos. Nos últimos 50 anos tem tomado nossas preocupações também os riscos de ordem psicológico e psíquico: problemas de aprendizagem, transtornos emocionais, psicoses e autismos (colocamos esses últimos a parte por tratar-se de condições psicopatológicas de causas variáveis e complexas ainda objeto de pesquisa). Mas, de forma extraordinariamente recente tem se produzido transformações nos laços sociais que vieram a deteriorar severamente as representações simbólicas reguladoras dos intercâmbios e relações entre pessoas e nações. Migrações forçadas e multiplicação dos refugiados (65 milhões em 2015, entre os quais 13 milhões de crianças, segundo a ONU), invasões tecnológicas em culturas primárias, enfraquecimento dos laços de parentesco e encolhimento da extensão da família, aumento vertiginoso dos lares mono-parentais, encolhimento dos espaços seguros para as crianças, expansão dos tempos de ocupação dos pais, no seu conjunto tem provocado um intenso deterioro dos cuidados primários e, consequentemente, das condições de transmissão cultural imprescindível à formação de um sujeito. A infância, de tal modo capturada nessa teia real, fica em condições de vulnerabilidade no que tange a sua estruturação psíquica muito além do território demarcado pelas afecções orgânicas ou as classicamente consideradas na avaliação dos riscos para o desenvolvimento. A Psicanálise precisa oferecer o que sua experiência clínica tem lhe ensinado no que se refere às interseções patogênicas entre o individual e o coletivo para, junto à antropologia, à demografia, à sociologia, a pedagogia e a medicina, estabelecer conceitos e ações orientadoras de uma intervenção pública nesse viés de alto risco para a saúde infantil.

Sobre o Conferencista

Dr. Alfredo Nestor Jerusalinsky – Psicólogo. Psicanalista. Doutor em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA). Membro da Associação Freudiana Internacional. Membro da Direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre/RS e Buenos Aires/ARG. Professor do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão. Presidente da Fundação para o Estudo dos Problemas da Infância. Professor de Pós-graduação da Unisinos e USP.

Comissão Organizadora:

Ana Sílvia Lang (CRP 15/2399)

Hélida Xavier (CRP 15/2973)

Luciana Carla Lopes de Andrade (CRP 15/3002)

Merylaura Porto da Silva (CRP 15/3045)

Raquel de Lima (CRP 15/3195)

Inscrições: mediante depósito e envio do comprovante para o email studiodepsicanalise@gmail.com . Confirmação da inscrição será por email, em até três dias úteis após o envio do comprovante. No local, se houver vagas.

Dados para depósito:

Banco do Brasil
Ag. 3186-0
Conta Poupança 30.027-6
Variação 51
Nome Merylaura Porto da Silva

A importância do desenho infantil para os educadores e a sua função para as crianças

Silvia Molina 2016 [Cartaz]

Data: 23/05/16.

Local: Auditório do Harmony Trade Center – Jatiúca – Maceió-AL.

Carga horária: 3 horas.

Público-alvo: interessados no tema.

Palestrante: Silvia Eugenia Molina.

O trabalho psíquico da pequena criança será o de gestar uma posição subjetiva desde a qual possa se expressar. Esta posição precisa ser constituída no laço parental, familiar e com os outros adultos cuidadores. E será, justamente, a substituição destes cuidadores no cuidado de si que facilitarão a constituição da palavra no corpo, desde que podemos dizer, metaforicamente, que o primeiro dicionário é escrito no corpo. Deste processo emerge a produção imaginária da infância, sendo o desenho uma expressão dela.

Sobre a palestrante:  Psicóloga; Psicanalista; Especialista em Psicologia e Clínica; Professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão, do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre; Membro da equipe de direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre; Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA).

Referências sugeridas: 

 – MOLINA, Silvia Eugenia. De onde surge o brincar e o desenhar? In: Revista da Associação Psicanalítica de Porto Alegre – O Infantil na Psicanálise. Porto Alegre: APPOA, 1990, pg. 43.

​- MOLINA, Silvia Eugenia. A pequena criança da Psicopedagogia Inicial. In: Escritos da Criança Nº 5. Porto Alegre: Centro Lydia Coriat, 1998.

- MOLINA, Silvia Eugenia. Estruturar para não marginalizar. In: RODRIGUES, Fátima; GURSKI, Roselene (Orgs.). Educação e Função Paterna. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

Comissão organizadora:

Ana Sílvia Lang (CRP 15/2399)

Hélida Xavier (CRP 15/2973)

Luciana Carla Lopes de Andrade (CRP 15/3002)

Merylaura Porto da Silva (CRP 15/3045)

Raquel de Lima (CRP 15/3195)

Inscrições: mediante depósito e envio do comprovante para o email studiodepsicanalise@gmail.com . Confirmação da inscrição será por email, em até três dias úteis após o envio do comprovante. No local, se houver vagas.

Dados para depósito:

Banco do Brasil
Ag. 3186-0
Conta Poupança 30.027-6
Variação 51
Nome Merylaura Porto da Silva

 

 

 

Seminário “Psicanálise, clínica e cultura: a psicanálise diante da desconstrução no cotidiano IV”

Seminário 2016 [Cartaz]

Data: 02/04/2016 às 10h.

Local: Auditório do Harmony 2 (Trade Center). Rua Dr. José Afonso de Melo, 118 – Jatiúca – Maceió-AL.

Palestrante: Prof. Dr. Charles Elias Lang

O século XX experimentou uma desconstrução sem precedentes dos valores e das figuras tradicionais de autoridade. O tipo ideal (Weber) deste processo é o maio de 68, saudado por muitos como o momento planetário em que se consolida a desconstrução do patriarcado. Tipo ideal lamentado por outros tantos como o golpe final nas utopias republicanas ou socialistas. Um consenso está construído deste então: órfã, nossa época foi entregue à globalização liberal e ao hiper-consumismo.

Neste seminário analisamos a ética da desconstrução, à luz das grandes visões morais da Filosofia Ocidental. Estas visões morais nos ajudam a pensar em que a Filosofia e a Psicanálise se aproximam e em que ambas se opõe ao “triunfo da religião” (Lacan).

O objetivo é o de desenvolvermos um instrumental que nos permita pensar o que tem sido e o que pode ser uma clínica face à lógica da inovação nas sociedades pós 68, em uma metodologia de trabalho que aproxima caso clínico e produções culturais contemporâneas.

Sobre o palestrante: Doutor em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP, 2002). Mestre em Filosofia Contemporânea pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, Porto Alegre, RS, 1996). Professor permanente no Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Federal de Alagoas (IP/UFAL, Maceió, AL). Pesquisador e Supervisor em Psicologia Clínica no Curso de Graduação em Psicologia da UFAL. Psicanalista membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA).

Inscrições: no local.

Palestra: Quem é a criança da Educação Infantil?

Zulema Yañez 2016 [Cartaz] (1)

Data: 17/03/2016 às 19h30

Local: Auditório do Harmony 2 (Trade Center). Rua Dr. José Afonso de Melo, 118 – Jatiúca – Maceió-AL.

Palestrante: Zulema Garcia Yañez

Os adultos na função educativa se interrogam como devem e podem educar as pequenas crianças. Os aportes teóricos, que visam estudos nos diversos campos do desenvolvimento infantil, contribuíram no entendimento e aprimoramento na construção dos conteúdos curriculares.

A educação infantil acolhe crianças cada vez menores, motivo pelo qual é necessário privilegiar e sustentar as estruturas que ainda estão em andamento, muito mais que insistir nas imposições pedagógicas.

A pergunta é, deste modo, o que deve ser priorizado na Educação Infantil?

Sobre a palestrante:

Zulema Garcia Yañez: Fonoaudióloga. Psicomotricista. Especialista em Educação Psicomotora. Membro da equipe clínica do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre. Coordenadora e docente do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão.

Comissão Organizadora:

Ana Sílvia Lang (CRP 15/2399)

Hélida Xavier (CRP 15/2973)

Luciana Carla Lopes de Andrade (CRP 15/3002)

Merylaura Porto da Silva (CRP 15/3045)

Raquel de Lima (CRP 15/3195)

Inscrições: mediante depósito e envio do comprovante para o email studiodepsicanalise@gmail.com . Confirmação da inscrição será por email, em até três dias úteis após o envio do comprovante. No local, se houver vagas.

Dados para depósito:

Banco do Brasil
Ag. 3186-0
Conta Poupança 30.027-6
Variação 51
Nome Merylaura Porto da Silva

Conferência: Como é difícil ser mãe!

INSCRIÇÕES ENCERRADAS!

Data: 26/02/16 às 19h.

Local: Espaço Cultural Linda Mascarenhas – IZP. Endereço: Av. Fernandes Lima nº 1047 – Farol – Maceió – AL.

Carga horária: 2 horas (com entrega de certificado)

Jerusalinsky abordará a evidência da redução drástica das taxas de natalidade (estatísticas da OECD da ONU) e as razões dessa redução. Razões entre as quais cabe colocar as dificuldades de ser mãe atualmente pela multiplicação de obrigações que pesam sobre a mulher, a diversificação das opções de realização feminina que não passam necessariamente pela maternidade, o recuo da responsabilidade paterna, a debilidade atual dos laços familiares, as incertezas pelo futuro dos filhos.

Público-alvo: interessados no tema.

Sobre o Conferencista

Dr. Alfredo Nestor Jerusalinsky – Psicólogo. Psicanalista. Doutor em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA). Membro da Associação Freudiana Internacional. Membro da Direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre/RS e Buenos Aires/ARG. Professor do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão. Presidente da Fundação para o Estudo dos Problemas da Infância. Professor de Pós-graduação da Unisinos e USP.

Comissão Organizadora:

Ana Sílvia Lang (CRP 15/2399)

Hélida Xavier (CRP 15/2973)

Luciana Carla Lopes de Andrade (CRP 15/3002)

Merylaura Porto da Silva (CRP 15/3045)

Raquel de Lima (CRP 15/3195)

Palestra “O nó do amor” e Lançamento do livro “Topologia e Clínica Psicanalítica” com Ligia Gomes Víctora (2013)

Palestra "O nó do amor" e Lançamento do livro "Topologia e Clínica Psicanalítica" com Ligia Gomes Víctora (2013)

Palestra “O nó do amor” e Lançamento do livro “Topologia e Clínica Psicanalítica” com Ligia Gomes Víctora (2013)

O nó do amor

Conferência de Ligia Gomes Víctora[1]

Qual a relação entre o nó borromeano e as fórmulas da identificação sexuada?” – perguntaram a Lacan (1974)[2] no Seminário Les non-dupes errent, e ele, a partir desta questão, desenvolveu o que eu apelidei de nó do amor.

Seria, a grosso modo, de que maneira se mantêm juntos um homem e uma mulher, ou seja, um par de seres tão heterodoxos quanto o sujeito e o objeto do seu desejo?

A questão é – será que este nó dá conta de uma especificidade que possa, finalmente, justificar ou esclarecer a diferença sexual?

I Jornada do Studio de Psicanálise: Infância e Adolescência (2013)

I Jornada do Studio de Psicanálise: Infância e Adolescência (2013)

I Jornada do Studio de Psicanálise: Infância e Adolescência (2013)

A realização da jornada visa estreitar e sedimentar laços entre profissionais envolvidos com as questões da infância e adolescência em nosso Estado e promover um diálogo e debate sobre o tratamento, atenção e cuidados que são endereçados às crianças e adolescentes no mundo contemporâneo.

O evento – que acontecerá nos dias 3, 4 e 5 de maio de 2013, no auditório do CRP-15 – tem confirmada a presença de três conferencistas: Alfredo Jerusalinsky, membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA), Paulina Rocha, sócia-fundadora do Centro de Pesquisa em Psicanálise e Linguagem (CPPL) e Ivan Corrêa, fundador e membro do Centro de Estudos Freudianos do Recife (CEF).

Sobre os conferencistas:

Alfredo Néstor Jerusalinsky. Psicanalista, Psicólogo, Mestre em Psicologia Clínica (PUCRS), Doutor em Educação e Desenvolvimento Humano (USP). Analista Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA) e Membro da Associação Lacaniana Internacional. Membro da Direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre e Buenos Aires. Autor de artigos e livros como “Psicanálise e Desenvolvimento Infantil” que está na terceira edição, e tendo “Saber falar: Como se adquire a linguagem” editado simultaneamente no Brasil e na Argentina, pela Editora Vozes no Brasil e pela Editora Letra Viva em espanhol.

Ivan Corrêa: Psicanalista, fundador do Centro de Estudos Freudianos do Recife. Autor dos livros “Nós do inconsciente”, “A Escrita do Sintoma”, “Da Tropologia à Topologia”.

Paulina Schimdtbauer Rocha – Linguista, Psicanalista, sócia do CPPL e do Círculo Psicanalítico de Pernambuco, organizadora do livro “Autismos”, co-autora do livro “Autismo: construções e desconstruções”.

 

Alfredo Jerusalinsky e Paulina Rocha estarão à frente dos Cursos Pré-jornada, que acontecerão no dia 03/05, cada um com duração de 3 horas.

 

Cursos:

 

  • “O Acontecer Psíquico na Primeira Infância” – Paulina Rocha(Psicanalista, CPPL, Recife, PE). Dia 03/05/13 – 9h às 12h

 

  • “Bases Psicanalíticas para uma Nova Psicopatologia da Infância” – Alfredo Jerusalinsky(Psicanalista, APPOA, Porto Alegre, RS). Dia 03/05/13 – 14h às 17h.

 

 

Seminário do Studio de Psicanálise: “Infância e Adolescência na atualidade” (2012)

Seminário do Studio de Psicanálise: “Infância e Adolescência na atualidade” (2012)

Seminário do Studio de Psicanálise: “Infância e Adolescência na atualidade” (2012)

Data: 19/10/12 (sexta-feira) – das 19h às 22h.

Local: Espaço Cultural Linda Mascarenhas

Conferencistas
Maria Helena Barros (Psicanalista, CPPL, Recife, PE).
Maria Cicilia de Carvalho Ribas (Psicanalista, CPPL, Recife, PE).

Objetivos: Promover um diálogo e debate sobre o tratamento, atenção e cuidados que são endereçados às crianças e adolescentes na atualidade. Para isso, buscamos ampliar o diálogo entre profissionais de diversas áreas (campos de saber) que compartilhem estudos e práticas sobre a Infância e Adolescência. Estes são conceitos construídos ao longo da história e da cultura, sendo impossível classificá-los em um único campo de saber e atuação. Nesta perspectiva, a temática abordada elencará os diversos saberes que a contemplam, entre eles: Saúde, Educação e Cultura.

Público-alvo: Psicólogos, Psicanalistas, Nutricionistas, Fonoaudiólogos, Educadores e áreas afins. Estudantes destas respectivas áreas.