Arquivo do autor:vandilson

CentroLydiaCoriat

Problemas do Desenvolvimento na Infância a Adolescência – Abordagem Interdisciplinar

CentroLydiaCoriatO Centro Lydia Coriat de Porto Alegre é uma clínica interdisciplinar que desde sua fundação em 1978, dedica-se ao estudo, diagnóstico e tratamento dos problemas do desenvolvimento na infância e adolescência. Desenvolve atendimento clínico em diversas especialidades: estimulação precoce, psicopedagogia clínica, psicopedagogia inicial, fonoaudiologia, fisioterapia, psicomotricidade, psicanálise, psicologia e psiquiatria.

A transdisciplina é o que caracteriza a intervenção terapêutica da equipe, na qual a estruturação do sujeito se constitui no ponto de convergência.

Paralelamente ao trabalho clínico, o Centro Lydia Coriat desenvolve desde 1992, no Centro de Estudo Paulo César D’Avila Brandão, diversas atividades de ensino dirigidas a profissionais de diferentes formações acadêmicas.

Público alvo: Profissionais de saúde, educação e cultura, interessados no desenvolvimento infantil e seus problemas.
Duração: 4 semestres – Certificado de 420 horas.

Frequência:

  • Sexta-feira das 18h às 22h;
  • Sábado das 08h às 12h e das 13h às 17h.

Investimento:

  • Duas matrículas de R$ 210,00 em 2015 e 2016;
  • 24 parcelas de R$ 420,00 (com boleto bancário);
  • Orientação do TCC R$ 420,00

Local do curso: Instituto Carlos Conce. Av. Dr. José Sampaio Luz, 132, Ponta Verde, Maceió – AL, 57035-260. Fone: (82) 3327-7090.

Documentação:

  • Carta de intenção, currículo breve*;
  • Agendar entrevista de admissão;
  • 2 fotos;
  • 2 cópias do CPF;
  • 2 cópias da Carteira de Identidade;
  • 2 cópias do comprovante de quitação eleitoral;
  • 2 cópias do comprovante de residência;
  • 2 cópias autenticadas do diploma.

*Interessados enviar para o email do Studio de Psicanálise carta de intenção, currículo breve e telefone até o dia 20/01/2015, para agendamento da entrevista.

Disciplinas do curso:

  • Seminário Introdutório – A clínica interdisciplinar;
  • Eixos da Prática Clínica I e II;
  • Bases da Estimulação Precoce;
  • Desenvolvimento Neuro-Psicomotor e Patologias;
  • Processos do Pensamento na Criança I e II;
  • Psicopedagogia Inicial;
  • Metodologia;
  • Desenvolvimento Psicolinguístico – Clínica da Linguagem;
  • Campos Conceituais da Psicopedagogia – Clínica Psicopedagógica;
  • Campos Conceituais da Psicomotricidades – Clínica Psicomotora;
  • Psicopatologia do Lactente e da Pequena Criança;
  • Psicopatologia;
  • Psicopatologia da Infância;
  • Adolescência e Psicopatologia na Adolescência;
  • Clínica da Estimulação Precoce;
  • Direção da Cura dos Problemas do Desenvolvimento Infantil;
  • Seminário de Apresentação dos

 

CORPO DOCENTE:

  • Alfredo Nestor Jerusalinsky
    Psicólogo. Psicanalista. Doutor em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA). Membro da Associação Freudiana Internacional. Membro da Direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre/RS e Buenos Aires/ARG. Professor do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão. Presidente da Fundação para o Estudo dos Problemas da Infância. Professor de Pós-graduação da Unisinos e USP.
  • Ângela Esther González
    Fonoaudióloga. Especialista em Problemas do Desenvolvimento pela
    Universidade Hélio Rocha em Salvador/BA. Professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre.
  • Beatriz Kauri dos Reis
    Psicóloga. Psicanalista. Mestre em Psicologia Social pela UFRGS. Professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA).
  • Elaine Milmann
    Psicopedagoga. Pedagoga Educadora Especial com Especialização em Ed. Infantil. Mestre em Educação pela UFRGS. Professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre. Membro da Associação de Psicopedagogia.
  • Gerson Smiech Pinho
    Psicólogo. Psicanalista. Mestre em Psicologia Social e Institucional pela UFRGS. Membro da
    Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA). Professor do Centro de Estudos Paulo Cesar
    D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre.
  • Julieta Jerusalinsky
    Psicóloga. Psicanalista. Doutora em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Mestre em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Especialista em Estimulação Precoce. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA) e do Centro Lydia Coriat. Pesquisadora vinculada ao Laboratório de Psicopatologia Fundamental da PUC/SP. Professora do Cogeae da PUC/SP no curso “Clínica Interdisciplinar com Bebê”. Professora dos cursos de especialização em Psicomotricidade das Universidades: UNIFACS/BA e POTIGUAR/RN. Autora do livro “Enquanto o futuro não vem – A Psicanálise na Clínica Interdisciplinar com Bebês” (Ágalma, 2008).
  • Maria Cristina Petrucci Solé
    Psicóloga. Psicanalista. Doutora em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Membro da equipe do Centro Lydia Coriat. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA). Professora da UFRGS
  • Mercês Sant’Anna Ghazzi
    Psicóloga. Psicanalista. Mestre em Psicologia pela PUC/RS. Membro da equipe e professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre.
  • Nilson Sibemberg
    Médico Psiquiatra. Psicanalista. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre
    (APPOA). Professor do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre. Membro participante da Pesquisa Multicêntrica de Indicadores de Risco para o Desenvolvimento Infantil do Ministério da Saúde e da FUSP.
  • Rejane Farias
    Psicóloga. Terapeuta em Estimulação Precoce. Especialista em Problemas do Desenvolvimento pela Universidade Hélio Rocha em Salvador/BA. Membro da equipe clínica e professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre.
  • Silvia Eugenia Molina
    Psicóloga. Psicanalista. Especialista em Psicologia e Clínica. Professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre. Membro da equipe de direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre. Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA). Coordenadora Estadual da Pesquisa Multicêntrica de Indicadores de Risco para o Desenvolvimento Infantil do Ministério da Saúde e da FUSP.
  • Zulema Garcia Yañez
    Fonoaudióloga. Psicomotricista. Especialista em Educação Psicomotora. Membro da Direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre. Coordenadora e professora do Centro de Estudos Paulo Cesar D’Avila Brandão do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre.

Início previsto: 27 e 28 de fevereiro de 2015

Centro Lydia Coriat Porto Alegre
Fone: (51) 3311-0091
Email: lydiacoriat@terra.com.br
www.lydiacoriat.com.br

Studio de Psicanálise
Maceió – AL
Fone: (82) 9313-6766
Email: studiodepsicanalise@gmail.com

Livro da I Jornada do Studio de Psicanálise: infância e adolescência.

Livro da I Jornada do Studio de
Psicanálise: infância e adolescência

Livro da I Jornada do Studio de Psicanálise: infância e adolescência.

Livro da I Jornada do Studio de Psicanálise: infância e adolescência.

No período de 3 a 5 de maio de 2013, no auditório do CRP-15, em Maceió-AL, o Studio de Psicanálise realizou um evento que marcou para o grupo o encerramento de uma etapa: o Curso de Formação em Psicoterapia de Criança e Adolescente.
A I Jornada do Studio de Psicanálise teve como objetivo a interlocução e o estreitamento de laços entre profissionais que trabalham com a infância e a adolescência em Alagoas. Este livro é a compilação dos trabalhos apresentados nesta Jornada, constando todos os autores que desejaram e autorizaram a publicação.
Estão aqui reunidos diversos trabalhos de profissionais que atuam com a escuta psicanalítica na clínica, assim como em áreas distintas como a Fonoaudiologia, o Direito e a Pedagogia. Os textos evocam temas variados sobre a infância e adolescência por diferentes ângulos de discussão, dentre eles questões contemporâneas acerca de diagnósticos, educação, parentalidade, posição da criança na família, na escola e na sociedade.
O livro será lançado na II Jornada do Studio (acesse aqui), nos dias 28 a 30 de novembro de 2014.

Em entrevista concedida
Ligia Gomes Víctora

Em entrevista concedida ao Studio de Psicanálise, em outubro de 2013, Ligia Gomes Víctora fala sobre a Topologia e sua aplicação à Psicanálise.

ligia-gomes-vc3adctora

Ligia Víctora é Psicanalista. Membro da APPOA. Membro da ALI. Responsável pelos Seminários de Topologia da APPOA

O que é topologia? O que caracteriza a topologia?
A topologia é um ramo das Matemáticas – provavelmente o mais jovem. Aparece no final do século XIX, em textos de Poincaré e de Listing. Embora seus primórdios datem do século XVIII, com Euler e a solução para o problema das pontes de Königsberg, que envolviam uma lógica entre sete pontes que ligavam as três regiões da cidadezinha. No início foi chamada de Analysis situs, que significa o estudo da posição ou do lugar.
Caracteriza-se por ser uma “geo-não-metria”, pois não interessam as medidas de tamanho ou de ângulos, mas apenas as vizinhanças entre os pontos e certos invariantes que devem ser respeitados.

É possível afirmar que Freud fez uso da topologia?
Sim, ele tentava em seus esquemas utilizar a topologia, que chamava de “Topografia”. Embora ele fosse absolutamente contemporâneo da banda de Möbius, que foi criada (ou descoberta) em 1858 (Freud nascera em 1856) – ele não a conhecia. Se a conhecesse, teria tido respostas para certos problemas que o acompanharam por toda sua obra – como aquele de como algo “entra” no Inconsciente e como “sai” para o Consciente, embora ainda lá permanecendo.

Pode-se dizer que as figuras topológicas podem ajudar a identificar a estrutura clínica do Sujeito ou a posição subjetiva deste que se apresenta demandando uma análise?
A Topologia ajuda a compreender e a formalizar a Psicanálise, uma vez que precisamos sempre de outra linguagem lógica para poder afirmar que uma sentença é verdadeira. Lembrando que “estrutura”, para nós, significa a maneira como o sujeito lida com os significantes advindos do outro. Estas modalidades de reação – ou de implantação do nível simbólico – é o que nos diz se o sujeito é neurótico ou psicótico. Suas “relações com a realidade”, como diria Freud. E isto muda durante uma psicanálise.

Há especificidades para a psicanálise com crianças, adolescentes e adultos, no que se refere aos objetos topológicos?
Sim. Podemos pensar em figuras e nós diferentes para cada paciente. Cada um amarra seu nó do seu jeito, como diria Marc Darmon.

Em seu livro Topologia e Clínica Psicanalítica você sustenta a hipótese de que é possível haver migrações entre estruturas clínicas. Como a topologia ajuda a pensar essa questão de migração ou passagem de uma estrutura a outra?
Partimos do princípio de que há uma característica diferenciável para cada estrutura ou “variedade topológica” – como se diz em Topologia – e de que existe uma passagem possível entre as diferentes variedades, desde que se façam cortes e colagens, mantendo-se os mesmos pontos anteriores – o que se chama de “homeomorfismos não-isomórficos” ou “difeomorfismos”. Da mesma forma, podem-se operar cortes durante uma análise na fala do analisando, que irão fazer com que seu discurso se reorganize sob outras formas.
Os cortes são feitos pela interpretação, pontuações no discurso do paciente, etc. E se dão sempre através da palavra, é claro. Todo ato analítico se dá sobre e através da palavra.
A história do paciente continua a mesma, mas a maneira dele contar e lidar com ela pode ser muito diferente.

O que a hipótese das migrações lança como desafio para o trabalho clínico? Quais implicações trazem para os psicanalistas hoje?
Os diagnósticos nosográficos (por sintomas ou síndromes) – da DSM – ou nosológicos (por estruturas) – da CID – que aprendemos na Universidade, assim como os antigos rótulos das primeiras classificações das doenças anteriores a Kraepelin – que dividiam os loucos entre “insensatos”, “furiosos”, “imbecis”, etc… – são como rótulos fixos e não condizem com o que vemos em nossa clínica.
O que lidamos no cotidiano da psicanálise são, na maioria dos casos, pessoas com histórias extraordinariamente plásticas, maleáveis, e ansiosas por mudanças. Embora muitas se afeiçoem a seus sintomas e estes sejam persistentes, ou resilientes, observamos muitas vezes alterações do discurso compatíveis com passagens entre neuroses e mesmo da psicose à neurose e vice-versa. Os estereótipos psiquiátricos fechados e imutáveis não condizem com o que vemos, mas a topologia nos ajuda a compreender e formalizar o que se passa em nossa clínica.

Palestra “O nó do amor” e Lançamento do livro “Topologia e Clínica Psicanalítica” com Ligia Gomes Víctora (2013)

Palestra "O nó do amor" e Lançamento do livro "Topologia e Clínica Psicanalítica" com Ligia Gomes Víctora (2013)

Palestra “O nó do amor” e Lançamento do livro “Topologia e Clínica Psicanalítica” com Ligia Gomes Víctora (2013)

O nó do amor

Conferência de Ligia Gomes Víctora[1]

Qual a relação entre o nó borromeano e as fórmulas da identificação sexuada?” – perguntaram a Lacan (1974)[2] no Seminário Les non-dupes errent, e ele, a partir desta questão, desenvolveu o que eu apelidei de nó do amor.

Seria, a grosso modo, de que maneira se mantêm juntos um homem e uma mulher, ou seja, um par de seres tão heterodoxos quanto o sujeito e o objeto do seu desejo?

A questão é – será que este nó dá conta de uma especificidade que possa, finalmente, justificar ou esclarecer a diferença sexual?

I Jornada do Studio de Psicanálise: Infância e Adolescência (2013)

I Jornada do Studio de Psicanálise: Infância e Adolescência (2013)

I Jornada do Studio de Psicanálise: Infância e Adolescência (2013)

A realização da jornada visa estreitar e sedimentar laços entre profissionais envolvidos com as questões da infância e adolescência em nosso Estado e promover um diálogo e debate sobre o tratamento, atenção e cuidados que são endereçados às crianças e adolescentes no mundo contemporâneo.

O evento – que acontecerá nos dias 3, 4 e 5 de maio de 2013, no auditório do CRP-15 – tem confirmada a presença de três conferencistas: Alfredo Jerusalinsky, membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA), Paulina Rocha, sócia-fundadora do Centro de Pesquisa em Psicanálise e Linguagem (CPPL) e Ivan Corrêa, fundador e membro do Centro de Estudos Freudianos do Recife (CEF).

Sobre os conferencistas:

Alfredo Néstor Jerusalinsky. Psicanalista, Psicólogo, Mestre em Psicologia Clínica (PUCRS), Doutor em Educação e Desenvolvimento Humano (USP). Analista Membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA) e Membro da Associação Lacaniana Internacional. Membro da Direção do Centro Lydia Coriat de Porto Alegre e Buenos Aires. Autor de artigos e livros como “Psicanálise e Desenvolvimento Infantil” que está na terceira edição, e tendo “Saber falar: Como se adquire a linguagem” editado simultaneamente no Brasil e na Argentina, pela Editora Vozes no Brasil e pela Editora Letra Viva em espanhol.

Ivan Corrêa: Psicanalista, fundador do Centro de Estudos Freudianos do Recife. Autor dos livros “Nós do inconsciente”, “A Escrita do Sintoma”, “Da Tropologia à Topologia”.

Paulina Schimdtbauer Rocha – Linguista, Psicanalista, sócia do CPPL e do Círculo Psicanalítico de Pernambuco, organizadora do livro “Autismos”, co-autora do livro “Autismo: construções e desconstruções”.

 

Alfredo Jerusalinsky e Paulina Rocha estarão à frente dos Cursos Pré-jornada, que acontecerão no dia 03/05, cada um com duração de 3 horas.

 

Cursos:

 

  • “O Acontecer Psíquico na Primeira Infância” – Paulina Rocha(Psicanalista, CPPL, Recife, PE). Dia 03/05/13 – 9h às 12h

 

  • “Bases Psicanalíticas para uma Nova Psicopatologia da Infância” – Alfredo Jerusalinsky(Psicanalista, APPOA, Porto Alegre, RS). Dia 03/05/13 – 14h às 17h.

 

 

Seminário do Studio de Psicanálise: “Infância e Adolescência na atualidade” (2012)

Seminário do Studio de Psicanálise: “Infância e Adolescência na atualidade” (2012)

Seminário do Studio de Psicanálise: “Infância e Adolescência na atualidade” (2012)

Data: 19/10/12 (sexta-feira) – das 19h às 22h.

Local: Espaço Cultural Linda Mascarenhas

Conferencistas
Maria Helena Barros (Psicanalista, CPPL, Recife, PE).
Maria Cicilia de Carvalho Ribas (Psicanalista, CPPL, Recife, PE).

Objetivos: Promover um diálogo e debate sobre o tratamento, atenção e cuidados que são endereçados às crianças e adolescentes na atualidade. Para isso, buscamos ampliar o diálogo entre profissionais de diversas áreas (campos de saber) que compartilhem estudos e práticas sobre a Infância e Adolescência. Estes são conceitos construídos ao longo da história e da cultura, sendo impossível classificá-los em um único campo de saber e atuação. Nesta perspectiva, a temática abordada elencará os diversos saberes que a contemplam, entre eles: Saúde, Educação e Cultura.

Público-alvo: Psicólogos, Psicanalistas, Nutricionistas, Fonoaudiólogos, Educadores e áreas afins. Estudantes destas respectivas áreas.

topologiaEClinicaPsicanalitica

Topologia e clínica psicanalítica

topologiaEClinicaPsicanaliticaLigia Gomes Víctora é psicanalista, membro da Associação Psicanalítica de Porto Alegre (APPOA) e A-M-A da Association Freudianne Internationale, com sede em Paris (conhecida também como Association Lacanienne Internationale).

Com um trabalho consistente na clínica psicanalítica desde 1980, e um dom natural para as Matemáticas, cedo interessou-se pela Lógica e pela Topologia de Lacan, sendo que buscou sua formação nesta área com matemáticos, por isso a precisão com que fala destes conceitos são rigorosos, porém com a ousadia e a delicadeza que são próprias do seu estilo. Responsável pelos seminários e oficinas de topologia na APPOA desde 1994, tem muitos textos publicados pelas duas associações a que pertence. Atualmente, seus seminários tratam sobre formalização da Psicanálise através das Matemáticas.

ONDE COMPRAR:
Livraria Viva (link com http://www.vivalivrariaeditora.com.br)

entrevistaLigia

studioDePsicanalise_entrevistaResenha

Curso de Formação em Psicoterapia de Criança e Adolescente CPPL (2ª Turma 2013/2014)

Curso de Formação em Psicoterapia de Criança e Adolescente CPPL (1ª turma: 2011-2013)

Curso de Formação em Psicoterapia de Criança e Adolescente CPPL (2ª Turma 2013/2014)

Curso de Formação em Psicoterapia de Criança e Adolescente CPPL (2ª Turma 2013/2014)

Cronograma do Curso de Formação em Psicoterapia de Criança e Adolescente – CPPL (1ª turma: 2011-2013)

MÊS DIA DA SEMANA DIA
NOVEMBRO/11 Sexta 18 Teoria Freudiana
Sábado 19 Teoria Freudiana
DEZEMBRO/11 Sexta 16 Teoria Freudiana
Sábado 17 Psicanálise de crianças: origens
JANEIRO/12 Sexta 20 Teoria Freudiana
Sábado 21 Workshop – Relação psicoterapeuta/paciente
FEVEREIRO/12 Sexta 10 Teoria Freudiana
Sábado 11 Desenvolvimento da criança – Sptiz
MARÇO/12 Sexta 09 Desenvolvimento – Klein
Sábado 10 Desenvolvimento – Klein
ABRIL/12 Sexta 20 Teoria do Amadurecimento – Winnicott
Sábado 21 Teoria Freudiana
MAIO/12 Sexta 18 Enquadramento / Transferência / Interpretação
Sábado 19 Teoria do Amadurecimento – Winnicott
JUNHO/12 Sexta 29 Teoria do Amadurecimento – Winnicott
Sábado 30 Enquadramento / Transferência / Interpretação
JULHO/12 Sexta 20 Desenvolvimento – Lacan
Sábado 21 Workshop – Relação Psicoterapeuta / Paciente
AGOSTO/12 Sexta 10 Desenvolvimento – Lacan – Fase do Espelho
Sábado 11 Desenvolvimento – Françoise Dolto
SETEMBRO/12 Sexta 22 Avaliação Psicológica – Casos
Sábado 23 Clínica – Primeiras Entrevistas / Pais
OUTUBRO/12 Sexta 05 Psicopatologia Freudiana
Sábado 06 Teoria Freudiana
NOVEMBRO/12 Sexta 02 Psicopatologia Freudiana
Sábado 03 A Clínica da Infância
DEZEMBRO/12 Sexta 07 A Clínica da Infância
Sábado 08 A Clínica da Infância
JANEIRO/13 Sexta 25 A Clínica da Infãncia
Sábado 26 Intervenção em Grupos
FEVEREIRO/13 Sexta Dificuldades Escolares
Sábado Dificuldades Escolares
MARÇO/13 Sexta A Clínica com adolescentes
Sábado A Clínica com adolescentes
Abril Sexta Políticas Públicas e Saúde Mental
Sábado Workshop – Planejamento Profissional